sexta-feira, 4 de março de 2011

Decisão

Ela tragou o cigarro e bebeu do copo com vodka, olhou atentamente para as paredes brancas do seu apartamento e ali decidiu que não queria mais nada e o" mais nada" significava que não queria mais viver. Tinha 23 anos, cursava o último ano da faculdade, tinha um carro, um apartamento, homens aos seus pés, beleza, mas na verdade sempre se sentia vazia, nunca se apaixonara, nunca teve um sonho de verdade, suas loucuras eram supérfluas poucas coisas eram gratificantes na sua vida...
Foi até a cozinha cambaleando, abriu o armário e tirou o veneno para ratos, apesar de nunca ter visto um rato em casa, a empregada insistira, ela cederá. Mas acreditava que mesmo se encontrasse um rato não deixaria ela usar o veneno "nessas pragas domésticas" que a empregada fazia questão de chamar, teria dó da criatura, talvez tivesse compaixão no final...
Era domingo, olhou pela janela e viu os raios do pôr de sol, respirou profundamente o cheiro do cigarro e ouviu o barulho do trânsito.Olhou o veneno na sua mão, talvez ela fosse a praga no mundo. Seus pais sempre lhe davam atenção, mas nunca conseguiram enxergar o que ela realmente era e não os culpava por isso, porque eles fizeram tudo que estava ao seu alcance.
 Nunca tivera muitos amigos, nunca tivera alguém que pegasse na sua mão e lhe mostrasse motivos para chorar, rir ou simplesmente agradecer o que ela tinha. Mas o que ela estava fazendo? Não podia culpar um desconhecido que nunca apareceu, simplesmente por ela não saber viver, então percebeu que a vida era dela e percebeu também que era uma covarde e valia menos que um rato que mesmo no esgoto lutava para sobreviver e teve certeza de que o veneno era para ela.
Colocou para tocar sua música preferida e enquanto cantarolava escreveu : "A vida é minha, sou eu que tomo minhas decisões." Então tudo foi ficando escuro...


13 comentários:

Casa Decorada disse...

Oi minha querida, que bom que veio, seja muito bem vinda ,também já sigo seu cantinho....voltarei com tempo para papear mais ....me avise o que estiver em falta em nossa CASA para que sua permanência seja perfeita.
Se vier e eu não estiver em casa, vai se acomodando que logo chego!
Fui colher umas flôres para te receber ...
Bj

karina de lima disse...

o tudo as vezes não é o bastante , gostei do post .

http://www.blogescolhas.co.cc

Bebel Lima disse...

curti esse port

http://bebellima7.blogspot.com

Jefferson Reis disse...

Poxa, que triste. E de pensar que milhões de pessoas se sentem assim =/

Paulo Boarro disse...

Oi amiga!
Obrigado pela visita e o comentario no meu blog, sem vc me seguir, fiquei muito feliz com sua presença.
Quanto ao texto, me parece q a pessoa tinha depressão profunda, e é nessas horas q a pessoa precisa de tratamento médico, tratamento espiritual, e o mas importante amor, carinho e compreenssão.
Gostei do seu blog, ganhaste um seguidor, e se quiser me seguir o endereço é esse.
http://boarro.blogspot.com/
bjus.

Jaque*Sampaio disse...

Sempre irreverente!:)

Arianne Carla disse...

Poxa, realmente é uma coisa que acontece e nem nos damos conta... Quantas pessoas se sentem assim, não é? :/

Inez disse...

As notas não vão influenciar na hora de procurar emprego, as empresas não pedem o histórico escolas, elas pedem o certificado de conclusão do curso.
O que vai contar mesmo será sua competência e seu desempenho nos processos seletivos.

Macaco Pipi disse...

O PROBLEMA É ESSE
ACHAMOS QUE TEMOS O CONTROLE E NA VERDADE NÃO TEMOS :(
HEE

Macaco Pipi disse...

VE A VINGANÇA DO NERD

http://www.novaquahog.com

EAHAEH
VAI GOSTAR!

Tunados & Loucos disse...

Muito bom suas postagens, parabéns...

Pedro disse...

Lindo!
Adorei mesmo, querida!

As vezes ser é melhor do que ter... né?

Jéssica L.A. disse...

é as vezes nos sentimos assim...

Lindo texto!
parabens!

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário