quinta-feira, 19 de julho de 2012

Questionamentos...

Eu respiro acelerado e uma excitação misturada com agonia me preenche o peito. Tudo que eu não tinha certeza, agora eu tenho e o que eu tinha certeza não é tão certo assim. Porque as coisas não podem ser mais simples? O que eu já tinha certeza poderia muito bem juntar-se com as novas certezas e não se rebelarem contra mim. Em momentos assim eu penso porque questiono tanto, tudo e todos, não seria mais fácil viver na ignorância e sendo felizes com as coisas simples? Mas que ignorância a minha, pensar que quem vive assim também não tem seus conflitos. É sempre assim essa divisão e nunca essa certeza, em momentos assim eu sempre lembro de um anime em que um personagem diz que "Um sonho que se realiza não é um sonho de verdade", quando criança fiquei intrigada com isso, pois não compreendia a essência dessa frase. Ah os animes, malditos animes que me fazem questionar até porque uma folha cai no chão, mas ainda fica a questão: O que você faz quando realiza um sonho? O substitui por outros, penso que assim deveríamos fazer em relação a morte, conhecer certas pessoas é um sonho realizado e quando ele acaba temos que    substituir por outros. O que me irrita é que começo a escrever um texto e uma ideia sai tomada por outra e no final eu nem me lembro mais da minha aflição, a respiração se normaliza, o coração se acalma, o cérebro retoma o poder e eu volto para as minhas atividades corriqueiras até o próximo questionamento, porém isso me lembra que são as perguntas que movem o mundo.

Um comentário:

Marie Motta disse...

Eu sou um poço de curiosidade e confusão. Me pego muitas vezes procurando uma coisa e acabo achando outra. Seja em livros, sites ou no meu armário. Quem nunca? Eu concordo plenamente com você quando diz que são as perguntas que movem o mundo, mas não uma pergunta qualquer, a pergunta certa tem todo esse poder. Confesso que nada me deixa mais agoniada que o que eu me questiono...quando eu crio perguntas para mim e não sei responder, ou sei e não quero responder. É assim com tudo. Até naquelas simples perguntas do dia a dia " E aí, tudo bem?" "Não tem nada bem, peguei metrô lotado, pisei numa poça e esqueci meus óculos" (isso é o que eu queria dizer, mas respondi apenas um " Tudo Bem" :) Adorei seu blog, voltarei sempre. Beijos

PS: Comecei de uma maneira e terminei de outra, coincidência né? rs

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário